Enivaldo: “A máfia do guincho quer voltar com permissão do Detran”

878

O deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) manifestou nesta sexta-feira (12) indignação com o anúncio do Detran de que, a partir da próxima segunda-feira (15), os guinchos voltarão a atuar no Estado, rebocando e levando carros para pátios do órgão e também arrendados. Para Enivaldo, só há uma resposta para isso: “É a máfia do guincho que quer voltar a agir, agora, com a permissão do Detran”.

O parlamentar, que preside na Assembleia Legislativa a Comissão Parlamentar de Inquérito denominada “CPI da Máfia do Guincho”, salientou, entretanto, que, assim que voltarem do recesso, os deputados do colegiado se reunirão para enfrentar a situação.

“Posso garantir ao povo capixaba que não daremos descanso a essa gente. Eles se aproveitaram do fato de o Legislativo estar em recesso para criar essa situação. O Detran está conivente com uma organização criminosa e se colocando contra o povo capixaba, mas formaremos trincheira na Assembleia. Se é guerra o que eles querem, é guerra o que vão ter, porque eu combato o bom combate”, disse Enivaldo.

O parlamentar lembrou que, antes da constituição da CPI da Máfia do Guincho, havia um conluio entre donos de guinchos, de pátios e agentes públicos para explorar o capixaba: “Com a atuação da CPI, demonstramos para a sociedade que havia uma quadrilha por trás disso tudo e conseguimos desarticulá-la, mas eis que, agora, eles estão de volta. A máfia não dorme, mas pode estar certa de que nem eu e nem os demais deputados da CPI também não durmimos. Estamos sempre vigilante”.

Enivaldo assegurou que nos primeiros dias de fevereiro vai convocar o diretor de Habilitação e Veículos do Detran, José Eduardo de Souza Oliveira, para comparecer à CPI, e que, se preciso for, sairá em diligência com os demais membros da Comissão para “enfrentar essa máfia nas ruas”.

Do ponto de vista político, o deputado, que faz parte da base do Governo na Assembleia Legislativa, disse que “essa atitude do Detran pode causar dificuldades para o Governo no parlamento neste ano de eleição” e acrescentou estranhar a atitude da autarquia justamente na semana em que o Diário do Judiciário publicou a sentença condenatória contra oficiais da Polícia Militar e a Associação dos Servidores Policiais Militares do Batalhão de Polícia de Trânsito (Assetran).

“Passaram-se dois anos e sete meses desde que o juiz de primeiro grau (Jorge Henrique Vale dos Santos, hoje desembargador) prolatou a sentença condenatória, e somente agora o Diário do Judiciário publicou a decisão. Nela, quatro coronéis são condenados, sendo que para dois deles a sentença prevê a expulsão dos quadros da Polícia Militar. É estranho, e espero que o governador veja isso, que o Detran afronte a Justiça dando espaço para uma organização criminosa agir no Estado”, finalizou Enivaldo.

COMPARTILHAR