- - » Reserva dos Macacos, um ponto a ser explorado em Central de Minas

Home » Coluna 40 Graus » Reserva dos Macacos, um ponto a ser explorado em Central de Minas

Reserva dos Macacos, um ponto a ser explorado em Central de Minas

GEDSC DIGITAL CAMERAEntre os vários destinos turísticos na região do Vale do Rio Doce, a reserva dos Macacos, no município de Central de Minas, a 95 quilômetros de Valadares e 35 km de Mantena Minas Gerais divisa do Espírito Santo, na principal rota de Minas as praias do litoral Norte Capixaba é um ponto a ser explorado pelos aficionados da natureza. Com 184 hectares, a Fazenda Floresta, na altura do quilômetro 42 da BR-381, é o habitat de aproximadamente 300 macacos-prego. Os macacos são nativos da mata e da região.

Edson Luduvino de Oliveira, já falecido foi o grande defensor da preservação da espécie e como proprietário da propriedade dedicou maior parte da sua vida em defesa da preservação evitando a caça e o trafego de cães caçadores na mata que são os principais predadores da espécie. Edson Luduvino em varia entrevista pelos meios de comunicação destacava que os Macacos pregos são os mais inteligentes entre os símios catalogados nas Américas.

A afirmação pode ser constatada numa visita à fazenda, reserva particular do patrimônio natural (RPPN) criada em 1997, pela portaria nº 33/96, sendo uma das duas do Vale do Rio Doce. O Instituto Terra, do fotógrafo Sebastião Salgado, em Aimorés afirma, “Foi uma das dez primeiras criadas”, citando a segunda reserva da região:

O local é hábitat de outras espécies de macacos, como o mico-dourado, o mico-estrela e o bugio, famoso por seu grito e que está entre os maiores primatas neotropicais, com comprimento de 30 a 75 centímetros. Uma outra espécie que habita a reserva, catalogada por Luduvino testemunhado por colaboradores da reserva, e que chama bastante a atenção, é a jaguatirica, um felino que se assemelha à famosa onça do Pantanal.

Fizemos uma visita especial aos primatas, num horário pouco típico para alimentar os primatas, foi presenteada com imagens interessantes de um grupo de pouco mais de 25 macacos-prego. De acordo com a guia turística, os bandos são numerosos e cada grupo vai de 60 a 70 animais.

O curioso é a proximidade entre os macacos e o guia da reserva, que os chama com um grito: “Ó, chico!” repetindo o era feito por Edson Luduvino no passado que treinou os animais a uma recepção calorosa.

Em poucos minutos, vindos de várias partes da floresta, os macacos-prego se amontoam nas árvores, aguardando para serem alimentados com porções de bananas e angu, que ele carrega em uma pequena vazia. A guia faz questão de orientar para que não seja dado nenhum outro tipo de comida para o animal, sendo aquela comida apenas uma forma de presentear eles pela presença, pois a alimentação natural deles são os brotos das árvores e frutas.

Muito ativos e brincalhões, os macacos-prego são os únicos primatas neotropicais que freqüentemente utilizam ferramentas em ambiente natural. Segundo a enciclopédia virtual Wikipédia, as mais comuns são pedras, utilizadas para quebrar frutos encapsulados (cocos). Também utilizam varetas para capturar larvas de insetos e mel de ocos de árvores e pedras para cavar o solo em busca de raízes comestíveis.

Proximidade

Acostumados com a presença de visitantes, os macacos se aproximam das pessoas e chegam a subir nos ombros delas para pegar a comida servida. Os macacos-prego são espertos e muito rápidos, e no momento em que eram alimentados pela guia eles mostravam intimidades e bom relacionamento com os humanos.

Visitação

O local é aberto à visitação de segunda a domingo, e uma das visitas mais ilustres foi a do roqueiro Raul Seixas, em 1986, após uma série de shows no Espírito Santo. De passagem pela região, o cantor almoçou no restaurante da reserva, onde é servido um saboroso frango com quiabo, torresmo e polenta, preparados em fogão a lenha.

O telefone é o (33) 8867-3518

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

macaco

macaco 2

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

Gostou da Matéria ? Compartilhe aqui!

One Response

  1. Renata disse:

    Bom dia!

    Gostaria de acrescentar que, nos anos de 2005 e 2009/2010 foram realizadas pesquisas com as espécies de primatas localizadas na RPPN:
    – Comportamento dos primatas;
    – Densidade e tamanho populacional.

    Esses trabalhos estão disponíveis na propriedade para consulta e pesquisa.

    Att,
    Renata M. Mendes
    Bióloga – CRBio: 57686/04-D

DEIXE SEU COMENTÁRIO.
(Os comentários com palavras de baixo calão ou ofensas as pessoas não serão aprovados!)