Curso de Derivados de Leite é realizado no interior de Barra de...

Curso de Derivados de Leite é realizado no interior de Barra de São Francisco

0 1465

Foi realizado no distrito de Cachoeirinha de Itaúnas, interior de Barra de São Francisco, um “Curso de Derivados de Leite”, promovido pelo SENAR, (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) de 05 a 07 de julho de 2017, nas dependências da Igreja Católica do referido distrito. Vale lembrar, que a fabricação de derivados do leite é alternativa de renda para pequenos produtores.

O leite é fonte de proteínas e vitaminas essenciais para o crescimento e manutenção do organismo. Além de fazer parte da alimentação do dia a dia, é também matéria-prima de diversos produtos e ingrediente de receitas culinárias. Para estimular o setor leiteiro e novas oportunidades de renda aos pequenos produtores, o SENAR/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural oferece capacitação em Fabricação Caseira de Derivados do Leite.

Segundo a instrutora do SENAR/MS, Brasilina Aparecida de Carvalho, o objetivo do curso é produzir derivados do leite com qualidade nutricional. “Ensinamos técnicas para fabricação dos produtos básicos da leiteria, como queijo minas frescal, queijo minas padrão, mussarela, iogurte e doce de leite pastoso”, explica.

Também são ensinadas técnicas de produção de ricota, bebida láctea achocolatada, requeijão cremoso e até suco de soro. O soro é a parte líquida do leite obtida a partir de diferentes processos, como a fabricação de queijos. “O aproveitamento do soro é uma surpresa para muitos produtores. Em muitas propriedades rurais, ele é alimento do suíno ou acaba sendo descartado. Entretanto no curso, nós mostramos que o soro pode ser utilizado de forma saborosa e nutritiva”, afirma Brasilina.

O soro do leite é aproveitado na produção desde bebidas lácteas até bolos. “Podemos misturar sucos de fruta ao soro. As opções que ficam mais saborosas são abacaxi, pêssego e morango. É muito interessante para a merenda escolar, pois o líquido extraído é repleto de vitaminas”. Além do valor nutritivo, há também o valor medicinal. A educadora comenta que já existem estudos que comprovam que o consumo de soro de leite pode ajudar na prevenção da doença de Alzheimer.

Segundo Brasilina, o soro do leite ainda contribui como suplemento alimentar, é regulador de pressão, de funções intestinais e um potente antioxidante. “Os derivados do leite estão bastante relacionados à fortificação dos ossos e à saúde intestinal. O iogurte que ensinamos a produzir, por exemplo, se consumido pelo menos dois copos durante a semana, melhora a flora intestinal e pode prevenir câncer de cólon de intestino”, detalha.

Na grade do curso também estão inclusos cuidados no processamento do leite e exigências profissionais. A instrutora explica que o principal cuidado antes de começar a fabricação dos produtos é a pasteurização do leite, que elimina bactérias e aumenta a longevidade.

O produtor que tem intenção de obter renda a partir dos derivados do leite precisa ter conhecimento da Instrução Normativa (IN-62), do Mapa – Ministério da Agricultura e Abastecimento, que aborda os cuidados necessários para comercialização. “Orientamos os produtores em relação à adequação às normas municipais, estaduais e federais. Os padrões de inspeção sanitária precisam ser seguidos para garantir um produto de qualidade”, relata.