Vereadores, ex-presidente e filho de médico atacam Marcelinho do Lico na Câmara Municipal de Mantena

1423

camaraTudo começou com acusações dos vereadores Rodrigo Curty e Anderson Branca de Neve, diante dos fatos e de ter sido chamado de “ladrão”, o vereador Marcelinho do Lico pediu para comparar a sua gestão quando presidente com a do Ex-Presidente da Casa Edson Sgrâncio, que estava presente na Casa e com ele o seu filho Dr. Juliano Sgrâncio, foi a gota d’água para que eles também atacassem ao vereador dentro da Câmara Municipal.

O clima mais uma vez ficou tenso na Câmara Municipal de Mantena, quando o vereador da oposição Anderson Branca de Neve pediu um “aparte” na palavra do Vereador Rodrigo Curty e, como tem feito em quase todas as reuniões desde quando assumiu sua vaga no legislativo municipal, aproveitando e se escondendo mais uma vez atrás do seu foro privilegiado (imunidade parlamentar), resolveu atacar com palavras e injurias a pessoa física de mais uma pessoa, o escolhido desta vez para o ataque pessoal foi o seu próprio colega de bancada, Vereador Marcelinho do Lico.

“Nós folcloricamente o chamamos de Doutor Andes (abusando da maneira que Marcelinho chama o prefeito), Marcelo do Lico, fez todas as maracutaias possíveis para que fosse eleita uma mesa puro sangue nesta casa”.

“Foi criada nesta casa um conluio, uma rede de proteção as maracutaias do atual prefeito, vou citar um exemplo, o capacho do prefeito nesta casa Marcelo do Lico este que “roubou” esta casa comendo três quilos de comida em Belo Horizonte, ele não me permitiu falar, quando levantei para fazer a minha assinatura (no livro de oradores inscrito da noite) ele ficou vigiando, ou seja, se ele não assinar eu não assino e acabou nem eu e nem este irresponsável falando, volto a dizer que nesta Casa só se contrata as pessoas se o ex-presidente Marcelo do Lico autorizar, eu pedi para contratar um advogado para vigiar um pouco da maracutaia desta casa que é demais, (é demais), e como ele não assinou nem a secretária e nem o atual presidente assinou”, disse.

O vereador Anderson Branca de Neve ainda acusou ao vereador Marcelinho do Lico de manter um tio ganhando da prefeitura sem trabalhar, segundo ele “só pra ser capacho do prefeito e para enganar o povo com mentiras, com enganos e falta de respeito”, afirmando ainda que 30% ou mais dos servidores da prefeitura são apadrinhados do vereador Marcelo do Lico que junto ao prefeito estão levando a cidade a uma desgraça total”.

Durante todo este tempo em que o Vereador Branca de Neve se expressou atacando ao ex-presidente da Casa, a palavra estava na Tribuna com o vereador Rodrigo Curty, que também antes um pouco, saiu mais uma vez do contexto dos trabalhos e atacou, sem falar o nome, (deu-se a entender) ao vereador Marcelinho do Lico que acusado de ‘ladrão’ e outros tantos adjetivos pediu o direito de resposta negado pelo Vereador Curty.

Mesmo diante da negativa ao seu pedido, o Vereador Marcelinho do Lico convidou sem os microfones aos vereadores que o acusavam para colocar em evidência e comparar a sua despesa de dois anos na presidência e a do ex-vereador Edson Sgrâncio (um dos responsáveis pela presença do Vereador Anderson Branca de Neve no legislativo), o que deixou o vereador Anderson Branca de Neve perplexo e fora de si, com uma sequencia de ataques desqualificantes ao ex-presidente.

“Você não é nada, você tá discutindo comigo, vossa excelência devia lavar esta boca suja, para falar do nome de um homem como Edson Sgrâncio, excelência não tem condição de assumir uma esposa, não tem uma família (repetindo por três vezes), vossa excelência não tem uma casa, vossa excelência devia se limitar, é fraco, v. faltou respeito, vossa excelência é fraco (repetindo algumas vezes), usa o prestigio que tem para sugar do Município de Mantena, vossa excelência só está assentando ai porque a Prefeitura comprou essa mesa diretora, enquanto o povo não souber que esta Casa de Leis é dominada por homens pagos pela prefeitura e que o Vereador Marcelinho do Lico fica por ai dando emprego para as pessoas”.

O show que parecia ter fim continuou com a presença do filho do ex-vereador Edson Sgrâncio que resolveu tirar satisfação com o vereador Marcelinho do Lico “Você respeita meu pai igual eu respeito o seu”, mas “ele me xingou” retrucou Marcelinho, “xingou nada, você é vagabundo rapaz, vem aqui para você ver, você é palhaço”, retrucando outras palavras em tom de ameaça, para o Vereador Anderson Branca de Neve voltar a atacar “Magoa a gente, revolta a gente, vê um homem com quase 30 anos, não tem um filho, não tem uma esposa, não tem um lar, não tem uma casa, vim posar-se de autoridade, pois enganou o povo a vida toda, conseguiu uma votaçãozinha graças a desgraça de um povo pobre, a desgraça de um povo que precisa de ajuda, um homem que vive vendendo caixões ai antes das pessoas, morrerem, é uma vergonha ter um poder legislativo alienado, não vou admitir mais em hipótese nenhuma é vocês faltarem o respeito comigo”.

O vereador Anderson Branca de Neve ao ser chamado a atenção pelo Presidente da Mesa, Antônio Inácio, que pediu para que o mesmo encerrasse a sua palavra, não aceitou e ainda teve tempo de acusar ao Presidente de estar comprando gasolina sem licitação afirmando que o mesmo está seguindo o mesmo caminho que o ex-presidente Marcelinho do Lico, conseguindo com sua atitude determinar o termino da reunião.

“Cruzes, estão querendo transformar a nossa Câmara Municipal em a “Praça é Nossa”, disse um assistente no momento em que o pau quebrava naquela casa de leis.

 

 

 

COMPARTILHAR