Vazamento de produto químico de empresa obriga moradores a saírem de casa em Barra do Riacho

O líquido, de cor esverdeada, escorreu de uma rua para outra e formou uma poça que chegou a corroer parte do asfalto

896

vazamento2-3796818

Cerca de 20 famílias de Barra do Riacho, em Aracruz, Norte do Estado, tiveram que deixar as suas casas por algumas horas na tarde desta sexta-feira (3). O motivo foi o vazamento de um produto químico de uma empresa de fabricação e montagem de andaimes, localizada na Rua Franklin Cordeiro.

O líquido, de cor esverdeada, escorreu de uma rua para outra e formou uma poça que chegou a corroer parte do asfalto. Os moradores disseram que o mau cheiro era muito forte e saíram de suas casas.

Um vídeo feito por um morador mostra o produto químico passando na frente das casas. De acordo com os moradores, o vazamento começou por volta das 15 horas. O assistente operacional Renan Andrade Silveira mora ao lado da empresa e disse que estava em casa quando ouviu uma explosão.

“De repente, eu ouvi um estouro. Saí para ver o que tinha acontecido. Só foi o tempo de passar aquela enxurrada de produtos químicos na porta da minha casa. Aquele mau cheiro, uma névoa. Eu até inalei essa névoa. Na hora, um rapaz falou que era produto químico e mandou sair dali. Eu saí correndo e pedi para fechar a minha casa porque o meu netinho estava lá”, contou.

O vazamento foi contido no início da noite de sexta-feira. Na manhã deste sábado (4), o local estava limpo, mas ainda era possível ver por onde o produto passou. Por causa do mau cheiro, alguns moradores se sentiram mal. A dona de casa Rosileia Conchavo disse que está com a boca seca e ficou rouca. Já a dona de casa Maria Cristina de Oliveira teve dor de cabeça. Ela também contou que a filha vomitou.

Um funcionário da empresa disse que a situação já foi resolvida, mas não informou o que provocou o vazamento. (Com informações da repórter Ariele Rui)

vazamento-3796811

Iema emite nota

A equipe de fiscalização do Iema esteve na empresa Teclit, na manhã deste sábado (04), para continuar acompanhando os trabalhos de remoção do ácido clorídrico (HCL) derramado na tarde de sexta-feira (03), em função de um vazamento no tanque que o armazenava.

A empresa foi notificada pelo Iema a limpar o local no mesmo dia do ocorrido. Aproximadamente cinco mil litros do produto derramaram, sendo que destes, mil litros ultrapassaram os limites da empresa, local onde foi dada prioridade para remoção do HCL e cuja área foi isolada. O empreendedor deve dar destinação final ambientalmente adequada ao que for recolhido.

A aplicação de multa irá depender da conclusão do Relatório Ambiental do Acidente, no qual serão detalhadas as causas do incidente, assim como considerados os impactos causados ao meio ambiente e à população local.

O documento também será enviado à Prefeitura de Aracruz, responsável pelo processo de licenciamento ambiental da empresa Teclit.

COMPARTILHAR